Queridos, eu sou Roberto e estou deixando claro que o novo celular da Motorola que é a Linha toda chamada Moto G7 é pior que o POCOPHONE

O novo MOTO G7 é PIOR que o POCOPHONE ?

Espero que gostem

Pocophone F1 COM DESCONTO https://goo.gl/ertYHr


Quer acompanhar o canal de perto?

Siga nos no Twitter!
@robertocarlosfj

Siga nos no Instagram!
robertocarlosfj

Contato Profissional: [email protected]

Sobre o Moto G7 e Pocophone

Sete gerações, o Moto G é agora uma linha de quatro jogadores em vez de apenas um telefone como nos bons velhos tempos. Aqui vamos nos concentrar no homônimo da lista de 2019 – o Moto G7 propriamente dito, para ver se ele ainda tem algum desse grande valor pelo qual o original era famoso.

Motorola Moto G7 avaliação
À primeira vista, o Moto G7 não está perdendo nenhum dos requisitos de um telefone moderno, e é melhor que não seja – a US $ 300 ou € 250 é 50% mais caro do que o Moto G em 2013, mesmo considerando a inflação.

Pelo seu dinheiro, você estaria recebendo uma tela de 6,2 polegadas, e para ser justo que é 70 por cento mais área de tela que o Moto G – em que métrica sozinho, você poderia dizer que o aumento de preços se justifica. É uma tela alta também, completa com cantos arredondados

embora o Snapdragon 632 seja tudo menos excitante, mesmo que tenha sido lançado no segundo semestre do ano passado. O sistema operacional Android 9.0 é tão atual quanto você pode obter também, portanto, mais pontos para o G7 para não ficar para trás.

Com RAM e armazenamento suficientes, além de um slot para cartão de memória dedicado, conector de 3,5 mm e um receptor de rádio FM, o Moto G7 verifica praticamente todas as caixas que um consumidor mais experiente está procurando nos médios. Enquanto isso, um ‘sensor de profundidade’ na parte traseira permite que o G7 possua uma câmera dupla, mantendo os custos baixos – você poderia dizer que é a norma neste segmento.

Especificações do Motorola Moto G7
Corpo: Vidro atrás, estrutura de plástico, 157,0 x 75,3 x 8,0 mm, 172g; Esquemas de cores Ceramic Black, Clear White.
Display: LCD IPS de 6,2 “, 1.080 x 2.270px, taxa de proporção 19: 9, 405ppi.
Câmera traseira: 12MP primária, 1,25µm, abertura f / 1,8; detecção de fase autofoco; sensor secundário de profundidade 5MP.
Câmera frontal: 8MP, 1,12µm, abertura f / 2.2, lente de foco fixo.
SO / Software: Android 9.0 Pie.
Chipset: Snapdragon 632: CPU octa-core (4×1.8 GHz Kryo 250 Gold e 4×1.8 GHz Kryo 250 Silver); Adreno 506 GPU.
Memória: 4GB de RAM; 64 GB de armazenamento; slot para cartão microSD dedicado.
Bateria: 3.000mAh Li-Ion (selado), 15W de carregamento.
Conectividade: Dual SIM; Wi-Fi a / b / g / n / ac, Bluetooth 4.2

Agora sobre o Pocophone F1

A Xiaomi criou uma nova marca de celular conhecida como Pocophone. O nome parece bastante fofo e inofensivo, mas fará com que outros fabricantes suem, já que a Xiaomi está tentando agressivamente alcançar clientes com o Pocophone F1. Não há concorrente que ofereça tanta tecnologia por tão pouco dinheiro, pelo menos no papel. Depois de testar o Pocophone F1, fica claro que, se a Xiaomi continuar nessa trajetória, as marcas rivais terão muito o que se preocupar.

Novo garoto no pedaço
Como outro aparelhos da Xiaomi, não há nenhum plano anunciado de trazer o Pocophone F1 para o Brasil ainda, mas ele estará disponível em breve em outras regiões como Índia e Europa.

As configurações de armazenamento incluem 64 GB, 128 GB e 256 GB, com preços entre US$ 300 e US$ 400 respectivamente em cada mercado. Isso equivale a R$ 1.225 e R$ 1.635 sem impostos, em conversão direta. Ele estará disponível a partir de 30 de agosto.

As cores incluem Rosso Red, Steel Blue e Graphite Black, além da Premium Armored Edition com kevlar. Estes são preços verdadeiramente competitivos que dificultarão não apenas o principal concorrente da Poco, a OnePlus (cuja filosofia é bastante similar), mas também a própria Xiaomi e seus outros dispositivos.

O plástico tem suas vantagens
O design do novo smartphone chinês certamente não é o mais procurado e único no mundo. Você não encontrará metal nem vidro, pois o plástico prevalece em todas as frentes. Esse smartphone da Xiaomi não parece muito bom e não é excepcionalmente fino. Mas o conjunto da obra é bom e o Pocophone F1 fica bem na sua mão.

Claro, o material também tem suas vantagens. O plástico permite que os sinais de rádio sejam melhores que o metal e é muito menos propenso a danos causados ​​por quedas. A Xiaomi até colocou uma capa de silicone protetora transparente na caixa. Essa case é útil não só porque a parte traseira de plástico arranha facilmente, mas porque o plástico fosco também fica sujo rapidamente e parece desgastado. Tudo é mais prático que elegante.

Algo ruim: a parte de trás não é removível, mesmo que seja feita de plástico. Isso teria sido muito fácil de implementar e permitiria que a bateria fosse substituível.

roberto

Posta Vídeos sobre séries, games, animes, a vida, o universo e tudo mais :)
SOBRE O RK
Roberto Karlos, 24 anos, Nova Iguaçu, Rj

Ver todos os posts

FAN GAMES do CANAL

 
Gamers Brasil
Grupo do Facebook · 1.874 membros
Participar do grupo
--== Bem vindo a Vídeo Games Brasil ==-- ==> Lembre-se - Ativar notificações para os posts do grupo. --== REGRAS ==-- ==> Sem desrespeito a qual...
 

Parceiros

https://divulgantemorte.blogspot.com.br/ https://www.youtube.com/channel/UCr-80LooItrzEe4WlkNzJCw